Dívida do SNS aumentou 51,6% entre 2014 e 2017

A dívida do Serviço Nacional de Saúde a fornecedores e credores aumentou 51,6% em 2017, face a 2014, revelou um relatório do Tribunal de Contas. A despesa com o SNS também caiu nesse período de três anos, num valor de quase cem milhões.

A dívida do Estado a fornecedores e credores na área da saúde atingiu 2,96 mil milhões de euros no final de 2017, revelou o Tribunal de Contas, num relatório citado pelo Público. Este valor de dívida representa um aumento de mais de mil milhões de euros face a 2014, quando a dívida representou cerca de 22% do fluxo financeiro para o Serviço Nacional de Saúde. Em 2017, esta proporção aumentara para mais de 29%.

Entre 2014 e 2017, o investimento do Estado no SNS baixou de 8,7 mil milhões de euros para 8,6 milhões, quebra de quase cem milhões que não impediu um aumento da dívida muito superior, de 1,9 mil milhões para quase 3 mil milhões de euros (o valor de 2017 foi de 2,96 mil milhões).

No mesmo relatório, o Tribunal de Contas recomenda medidas de recapitalização do SNS, nomeadamente «planos de saneamento financeiro de médio e longo prazo», com programas de orçamentos plurianuais.

Mais Notícias
Comentários