Doing Business 2019: onde devem ser feitos negócios no próximo ano

Foi divulgado o relatório do Banco Mundial sobre a facilidade de fazer negócios. A Nova Zelândia lidera a tabela e a China e a Índia subiram várias posições. Portugal ocupa o 34.º lugar num total de 190 países analisados.

A China está a diminuir a distância com seu principal rival económico, os EUA, no que toca a este ranking, sendo cada vez mais um país livre de problemas para fazer negócios. A Índia também mostrou progressos, depois de implementar alterações que ajudam empresas e empresários a instalar negócios naquele país.

Neste ranking anual do Banco Mundial conclui-se também que é mais fácil fazer negócios na Geórgia do que no Reino Unido ou nos Estados Unidos da América.

A Nova Zelândia, depois de tornar mais barata a criação de uma empresa é o país que lidera a tabela, seguida de Singapura e Dinamarca. Por oposição, na outra ponta da tabela, ficam a Somália, em último lugar, seguida da Eritreia e Venezuela.

Este relatório do Banco Mundial mostra que, entre os países lusófonos, Portugal tem a pior variação e o Brasil tem o melhor resultado face ao ano passado.

Ainda que Portugal continue significativamente mais bem colocado que qualquer outro país de língua portuguesa, sendo o único lusófono na primeira metade da tabela, o país piorou cinco posições no ranking elaborado anualmente pelo Banco Mundial sobre a facilidade de um investidor conseguir entrar no país e manter uma actividade empresarial.

O Brasil, pelo contrário, conseguiu melhorar da 125.ª posição para a 109.ª, sendo aliás o país da América Latina que mais melhorou neste ranking.

Entre os países lusófonos, Angola melhorou duas posições, passando de 175.ª classificada para a 173.ª posição, uma tendência que já vinha desde o relatório divulgado em Novembro de 2016, no qual aparecia na 182.ª posição, com o Banco Mundial a salientar a energia e as trocas comerciais internacionais como dois pontos que influenciaram a melhoria.

O Brasil é apresentado como um caso de sucesso na implementação das reformas, estando na lista dos 46 países que mais melhoraram a facilidade de fazer negócios, sendo destacadas de forma positiva as áreas de lançamento de novas empresas, acesso a electricidade, acesso a financiamento, trocas comerciais internacionais e regulação do mercado laboral.

Em comunicado, o Banco Mundial revela que houve um novo recorde nos esforços de redução da burocracia para o sector privado, com 314 novas reformas empresariais a nível mundial no último ano.

Este edição do Doing Business avaliou a facilidade e a dificuldade de quase todas as facetas de operar uma empresa, desde incorporar uma nova entidade, a obter uma licença de construção ou ligar a electricidade.

Mais Notícias
Comentários