Estatuto Editorial

  • Promover a discussão livre de todos os temas, sem censura nem tabus e praticando sempre o contraditório;
  • Manter a independência perante partidos, ideologias e projectos pessoais;
  • Analisar, investigar e aprofundar os temas, num contexto de abertura de Portugal à Europa e a um mundo cada vez mais global e integrado;
  • Discutir as causas do desenvolvimento económico e social do país, contra a desigualdade, a exclusão social e o empobrecimento;
  • Combater todo o tipo de discriminação sexual, religiosa e política com base na origem social ou nas opções pessoais, defendendo o indíviduo face ao Estado ou a qualquer tipo de totalitarismo;
  • Fomentar o debate sobre Portugal na sociedade do Futuro, com reflexos nas políticas públicas para a educação, captação do investimento externo e poupança, entre outras;
  • Rejeitar a intolerância e as verdades absolutas das ideologias;
  • Defender a economia social de mercado europeia, assente na liberdade económica como motor da prosperidade, na inclusão social e na verdadeira concorrência como defesa fundamental do consumidor, do trabalhador e também do produtor;
  • Salvaguardar Portugal como um Estado soberano de direito, cumpridor e garante da lei, dos contrados e da propriedade privada;
  • Assumir como um direito inalienável dos portugueses a liberdade individual, económica e de iniciativa, barreira fundamental no combate aos condicionamentos económicos e industriais e à excessiva dependêncida do Estado.