Itália tem uma semana para reformular Orçamento

O Eurogrupo esteve reunido para debater os orçamentos para o próximo ano dos países da União Europeia. O Orçamento italiano esteve em cima da mesa, com a UE a reiterar que “quer diálogo” e não sanções.

A proposta de Orçamento, apresentada pelo governo italiano, precisa de ser revista até 13 de Novembro, uma vez que não está em conformidade com as regras da União Europeia. Na reunião dos ministros das Finanças da Zona Euro, que decorreu ontem em Bruxelas, o Comissário Europeu para os Assuntos Económicos afirmou que “uma política com uma maior dívida pública não é favorável ao crescimento” italiano e que, apesar de querer um diálogo, poderão ser aplicadas sanções a Roma caso não cheguem a acordo. Pierre Moscovici desmentiu também notícias avançadas a partir de Itália de que Bruxelas estaria a preparar a abertura de um procedimento por défice excessivo contra a Itália, a anunciar no próximo dia 21 de Novembro.

Por seu lado, o ministro das Finanças de Itália voltou a relembrar que o Orçamento não será mudado e insistiu que um défice planeado para o próximo ano não vai aumentar a enorme dívida pública do país, que supera os 130 pontos percentuais do PIB.

Questionado sobre o mesmo assunto, o presidente do Eurogrupo disse esperar que, na sequência do “chumbo” da Comissão Europeia, o Governo italiano apresente na próxima semana um novo projecto orçamental para 2019 que respeite as regras europeias. Mário Centeno afirmou aos jornalistas, no final do encontro, que “muitos ministros exprimiram o seu desejo de que o Governo italiano melhore a sua proposta” e lembrou que Itália ainda tem uma semana.

Para o dia 21 de Novembro, está marcada a divulgação da apreciação definitiva da Comissão Europeia sobre as propostas orçamentais de todos os membros da Zona Euro.

Mais Notícias
Comentários