Negociação com Governo leva enfermeiros a suspender greve

Está garantida a criação de uma carreira com três categorias de enfermagem, mas ainda falta um acordo sobre tabelas salariais.

A greve de enfermeiros que tinha sido convocada para a passada segunda-feira e adiada para permitir uma nova ronda negocial com o governo poderá não se realizar, pois dois sindicatos dos enfermeiros saíram na quinta-feira de uma reunião no Ministério da Saúde a dizer que há margem para continuar as discussões.

Para já, parece estar garantida uma carreira com três categorias profissionais. A ministra da saúde, Marta Temido, reconheceu que houve aproximação entre as partes, mas também disse que «não é possível corrigir 20 anos numa legislatura».

A greve cirúrgica marcada para dia 30 não foi, por enquanto, cancelada, mas apenas suspensa, explicaram os representantes sindicais, afectos à Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) e Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor). No âmbito deste protesto, estão previstas paralisações em diferentes blocos operatórios do País até final de Fevereiro, mas a realização da greve passou a depender das negociações com o governo.

Nesta fase, os sindicatos parecem ter obtido garantias sobre a criação de três categorias de enfermeiros e também sobre as progressões na carreira. Não houve ainda acordo sobre tabela salarial ou redução da idade da reforma, mas o Governo diz estar disposto a negociar e os enfermeiros afirmam ter deixado cair as suas linhas vermelhas, com mais espaço para flexibilidade.

Mais Notícias
Comentários