Nobel da Medicina para estudos sobre o cancro

O norte-americano James P. Allison e o japonês Tasuku Honjo foram hoje distinguidos com o Nobel da Medicina pelos seus estudos em imunoterapia contra o cancro.

O anúncio do Instituto Karolinska de Estocolmo refere que “a Assembleia Nobel decidiu hoje atribuir o Nobel da Fisiologia ou da Medicina 2018 conjuntamente a James P. Allison e Tasuku Honjo pela sua descoberta da terapia do cancro por inibição da regulação imune negativa”.

Segundo o secretário-geral do Comité Nobel, Thomas Perlmann, “os laureados do prémio Nobel deste ano estabeleceram todo um novo princípio para tratar o cancro”, “estimulando a capacidade do nosso sistema imunitário de atacar as células cancerígenas”.

Ambos os galardoados desenvolveram terapias contra o cancro que utilizam o sistema imunitário: James P. Allison estudou uma proteína que funciona como um travão ao sistema imunitário, após perceber o potencial de lançar células imunitárias para atacar os tumores. O especialista desenvolveu este conceito para formar uma abordagem que permita tratar doentes.

Por seu lado, Tasuku Honjo “descobriu uma proteína nas células imunes e revelou que ela também funciona como um travão, mas com um mecanismo diferente. As terapias inspiradas na sua descoberta provaram ser muito eficazes na luta contra o cancro”, segundo a Assembleia Nobel.

Esta semana fica marcada pelo anúncio dos prémios Nobel. Começou com a Medicina, seguindo-se o da Física, Química, da Paz e da Economia.

Mais Notícias
Comentários