Polígrafo: um jornal em busca da verdade

Autodenomina-se como “o primeiro jornal de fact-checking português”. É um projecto online que pretende avaliar as declarações públicas dos intervenientes que actuam no espaço público.

No Estatuto Editorial explicam que não possui uma agenda político-ideológica, nem é inimigo dos protagonistas que avalia. Pretende ser “amigo dos leitores e um defensor das virtualidades da democracia liberal”.

O Polígrafo, o novo jornal online que pretende apurar factos que são divulgados, explica que segue os princípios da International Fact-checking Network.

Não permite a utilização de fontes anónimas e pretende avaliar a veracidade das declarações públicas através de um medidor que tem uma escala com cinco níveis: “verdadeira”, “Verdadeira, mas…”, “imprecisa”, “falsa” ou “pimenta da língua” o grau máximo de falsidade.

Dirigido pelo jornalista Fernando Esteves, é um projecto concebido especificamente para a Internet e os temas cobertos vão da política à economia, passando pelo internacional ou desporto. Segundo Fernando Esteves “o Polígrafo é um jornal que procura a verdade, não a mentira. Não é um jornal policial nem um inimigo dos políticos e dos comentadores; é um amigo dos leitores e dos eleitores. A partir do momento em que os protagonistas que se movimentam no espaço público souberem que existe um jornal que está unicamente vocacionado para verificar as suas palavras, eles terão um cuidado redobrado com as suas afirmações – e isso, no limite, acaba por contribuir para o elevar do debate público, reforçando a democracia e aperfeiçoando as instituições”.

Disponível em diversas plataformas online, o Polígrafo tem um site e contas nas redes sociais Twitter, Facebook e Instagram.

Mais Notícias
Comentários