Vaga de frio invulgar afecta 80 milhões de americanos

As temperaturas brutais, associadas a ventos fortes, podem atingir 50 graus negativos e matar uma pessoa em poucos minutos.

Uma grande parte da América do Norte estará esta quarta-feira sob os efeitos de uma invulgar massa de ar frio, havendo previsões de temperaturas inéditas no registo histórico. As condições extremas de clima atingiram o nordeste dos Estados Unidos, onde vivem mais de 80 milhões de pessoas, devido a um fenómeno chamado «vórtice polar», que este ano chegou a latitudes muito a sul.

Dois terços dos Estados Unidos estão sob temperaturas invulgarmente baixas, a ponto de as cataratas do Niagara terem congelado, mas em Chicago, dada a dimensão da cidade, as temperaturas desceram para patamares perigosos. Quarta-feira de madrugada é possível que se se registe uma temperatura mínima inferior ao recorde de Janeiro de 1985, que foi de -27 graus Celsius.

Mais incerto é o efeito do ar frio associado a rajadas de vento, algo que pode criar sensações de frio da ordem de -40 graus Celsius. A sensação térmica poderá atingir em Chicago -51 graus, o que seria o valor mais baixo conhecido, com efeitos potencialmente devastadores: nestas condições, uma exposição de poucos minutos pode causar queimaduras nos membros ou até hipotermia e morte.

A Imprensa tem ironizado com a situação, referindo que o frio nos Estados Unidos será hoje superior ao da Antártida e ao da Sibéria, mas ninguém subestima os perigos da vaga de frio. As grandes cidades estão a organizar abrigos para os desfavorecidos e as autoridades fecharam as escolas e pediram às pessoas que evitem sair de casa. Foram já cancelados mais de 2700 voos comerciais no nordeste dos Estados Unidos e o tempo só deverá melhorar no fim-de-semana.

Mais Notícias
Comentários
Loading...